QUANDO BRINCADEIRAS DE MIÚDOS SE TRANSFORMAM EM VIOLÊNCIA GRATUITA…!

Queixas do tipo “o seu filho andou a luta com o colega”, são comuns e aceitáveis. As crianças quando rivalizam, como estão num processo de construção de personalidade sem capacidade definida de autorregulação, podem assumir comportamentos agressivos, isolados… uma bofetada, um pontapé. Ao longo do seu desenvolvimento, ao serem advertidos para esses comportamentos, vão deixando de responder dessa forma e aprendem a lidar com a frustração.

O problema é que a criança para aprender a lidar com a frustração, tem de ser frustrada, e hoje em dia, isso por vezes não acontece. Assistimos a um cenário em que existem pais permissivos e pequenos ditadores.

Lutas são coisas de miúdos. Brincar às lutas…. É normal! O problema é quando as coisas de miúdos, tornam-se repetitivas e gravosas, ao ponto de gerar humilhação, e ter outras quantas crianças à assistir, a filmar e até a publicar em redes sociais!

Estamos a assistir a uma degradação de valores, que me assusta como mãe.  A violência tornou-se gratuita e não apenas uma forma isolada, e intempestiva,  de responder a uma frustração.

As crianças têm acesso a violência gratuita de forma quase ilimitada, seja pela internet, youtubers, desenhos animados (mesmo aqueles que são transmitidos em canais infantis), brinquedos, jogos de computador, cuja vitória se define pelo maior número de mortes conseguidas! É a moda dos desafios tolos, que são encarados pelos jovens como verdades quase absolutas!

Como resolver este problema?!

Não sei…  Mas sei de uma atitude que pode fazer a diferença: Sejam Pais atentos!

  • Diga não ao seu filho… ensine-o a lidar com a frustração;
  • Não crie o hábito de a criança/jovem ficar numa divisão sozinha a ver televisão ou na internet.
  • Quando o seu filho está na internet e a ver televisão, sente-se junto dele, peça para assistir em conjunto….
  • Se verificar que aquilo que o seu filho assiste, não é um conteúdo adequado, retire-lhe o acesso mas explique-lhe a razão;
  • Não lhe ofereça jogos ou brinquedos que incentivem a violência;
  • Não lhe permita assistir a filmes que não sejam adequados para a sua idade, há uma razão pela qual os filmes são classificados por idade!
  • Converse com o seu filho sobre a escola, diga-lhe que se alguém lhe fizer mal, que lhe deve contar, porque só dessa forma fica em segurança. Diga-lhe que só um adulto consegue resolver;
  • Incentive o seu filho a defender-se…. Uma atitude passiva perante uma agressão, fará com que ele seja alvo frequente do mesmo tipo de agressão;
  • Se assistir com o seu filho a comportamentos de violência, converse com ele sobre o assunto, pergunte qual a sua opinião, e faça-lhe ver que a violência nunca é a resposta certa;

 

Anúncios