PAIS IMPACIENTES COM FILHOS QUE NÃO SABEM ESPERAR…!


As crianças dos dias de hoje são seres impacientes?!

Vivem expectantes, aguardando sempre que chegue alguma coisa (o próximo presente, o próximo fim-de-semana, a próxima festa de aniversário!…). São muitas vezes os próprios pais que o afirmam, referindo que os seus filhos não sabem esperar e que na sua infância as coisas não eram vividas assim, porque tudo se desenrolava devagar, e esperar por algo ou alguma coisa fazia parte da vida.  

Mas, os pais que afirmam que os seus filhos não sabem esperar…

São  os mesmos pais, que apressam os filhos de manhã para que se vistam rapidamente porque estão atrasados para sair de casa e é preciso chegar a horas à escola e ao emprego.

São os mesmos pais, que suspiram e se lamentam repetidamente quando encaram uma fila de trânsito.

São os mesmos pais, que passam a semana de trabalho a queixar-se do cansaço e que ao fim-de-semana reclamam da rapidez com que passa o tempo nos dias de folga.

São também aqueles, que chegam com os filhos doentes ao serviço de urgência, e que antes de explicar o que se passa com a criança, começam por perguntar se o atendimento está muito demorado e o tempo de espera.

Se não sabemos esperar como podemos desejar que as nossas crianças o façam?

Vivemos com pressa, projetados para o amanhã e esquecemos que a vida é o aqui e o agora.  Este é o nosso momento e talvez não seja preciso ensinar as crianças a esperar, pois penso que se as ensinarmos a viver o momento presente, isso será suficiente. Viver o momento nas pequenas coisas, para que se possa preparar o tão aguardado futuro.

Talvez valha a pena, levantarmo-nos 10 minutos mais cedo, para que o início do dia não seja tão apressado e seja possível respeitar o ritmo dos nossos filhos.

Talvez valha a pena,  apreciar a música que passa na rádio enquanto aguardamos que a interminável fila de trânsito avance. 

Talvez valha a pena,  minimizar a ansiedade que por vezes sentimos, aprendendo a aceitar as circunstâncias, sem dramatizar.

Saber aproveitar o momento e aceitar que não se consegue controlar tudo o que acontece na nossa vida, talvez seja esta a cura para a impaciência. É um desafio transmitir esta serenidade aos nossos filhos, pois obriga a uma mudança da nossa própria perspetiva.

Aqui e agora, eu desejo que os meus filhos possam aprender a esperar sem desesperar.

Anúncios