FESTAS POPULARES… COM FILHOS, É MAIS OU MENOS ASSIM!

Se há uma coisa que combina com crianças é festa!

As crianças fazem a festa… estão sempre prontas!

      Aliás, quando há festa à noite, até o dia se torna mais pacífico. Tudo aquilo a que os nossos pequenos dizem habitualmente que não, no dia da festa, basta dizer “assim não vais à festa”, para o milagre acontecer… Qual birra, qual nada, são as crianças mais bem comportadas de sempre! É vê-los a comer com satisfação a sopa carregada de couves, que no dia antes não gostavam… é vê-los a arrumar os brinquedos sem qualquer senão… é vê-los a fazer tudo o que pedimos sem uma única resposta torta!

Abençoadas festas populares… assim podiam ser todos os dias!

        Parece o quadro perfeito, mas depressa ganha algumas imperfeições…

      Chegamos à festa e são balões que voam de todas as cores… barracas, atrás de barracas, com laços da minnie que brilham, microfones que espalham luzes, pistolas de bolhas… no mínimo cinco euros! Enfim, uma vez até se compra, mas mais que isso não!

É então, que surge o pior da festa, a birra! “Eu quero um microfone…” e é ouvir o mesmo vezes e vezes sem conta! Surgem-nos aqui duas opções: ou ralhamos e a criança começa a chorar, com literalmente meio mundo a olhar para nós com ar de reprovação, ou dirigimos a atenção da criança para outro lado… pela minha experiência, pipocas resulta!

       São os carroceis e os insufláveis, que é “só uma volta mãe, por favor, prometo…”  e quando damos por nós passamos a festa, não na festa, mas numa espécie de feira popular!

   Já o concerto vai a meio, quando conseguimos convencer os pequenos, de que “daquele lado há mais diversões”, e lá vamos nós finalmente assistir…!

     Começa o inevitável… “mãe, não consigo ver nada!” Lá vamos nós, passando por entre a multidão, até chegar à frente…  Aí surge outro problema… “mãe, faz muito barulho!”. Das duas uma, queres ver ou queres pouco barulho? Decidimos que queremos barulho!

    Quando são mais crescidos, chegar à frente resolve, agora quando são pequenitos, aquilo que os pais mais temem acontece… “mãe quero colo!”. Colo? A mamã já não consegue….! O que é que uma mãe faz? Começa a dançar de mãos dadas… uma volta para aqui, uma roda para aqui! Passado algum tempo volta o pedido, desta vez mais insistente! Só há uma coisa a fazer “O pai dá…!” É nesta altura que sabemos que os minutos na festa estão contados… é  só uma questão de minutos para que a pequena começe a dormir ao colinho!

    Ficar a dormir ao colo do pai, podia ser uma solução, mas um pai também não é de ferro… 20 kg ao colo, após algum tempo também cansa!

     É nesta altura, que começo a prestar atenção ao concerto, porque tenho a sensação que não tarda em terminar, pelo menos para mim! Começo a bater palmas, com os braços no ar, até que sou interrompida… É o mais velho, ou não fosse eu bruxa, que de repente deixou de cantar e diz-me com ar de sono… “Estou cansado!” Olho para o lado e vejo a pequena a dormir no colo do pai…  Olho para o relógio, é tarde… minto é cedo, são 23h30, tarde para os pequenos, mas muito cedo para a festa…!

É mais ou menos assim que se vive a festa com filhos…

A festa continua…  mas para quem lá fica!

 Com filhos pequenos a festa popular depressa ganha outra localização…

Em casa, “no vale dos lençóis”…. !

Anúncios