JÁ SOU CAPAZ! – CAMINHANDO PARA A AUTONOMIA

 

O bebé nasce, tão pequenino, dependente… passamos a viver em torno daquela doçura, da necessidade que tem dos nossos cuidados, da necessidade que temos do seu amor.

 E vamos cuidando, alimentando,  vestindo, dando banhinho, ouvindo com alegria as suas primeiras palavras, vendo-o a dar os primeiros passinhos. E de repente, o nosso “bebé”, diz-nos com determinação “Mamã, eu visto-me sozinho. Eu sou capaz!”.

E com esta frase ele cresce de forma impressionante aos nossos olhos, porque já acha que consegue e quer fazer coisas. É a conquista da autonomia, uma fase marcante do seu desenvolvimento, que pode começar por volta dos 2 – 3 anos.

Mas nem tudo são rosas, porque lidar com esta vontade de fazer por si próprio nem sempre é fácil para os pais.

Eu lembro-me de estar a olhar para a minha filha durante cerca de 10 minutos, aguardando ansiosa para que conseguisse apertar um botão. E quando me oferecia para ajudar, porque o tempo não pára e já estava atrasadíssima para sair para o trabalho, ela olhava-me com um olhar de quem tinha tudo dominado e dizia-me “Mamã, eu consigo!”. E depois destes intermináveis 10 minutos, não conseguiu e no meio de uma birra eu apertei o botão, ela ficou triste, e eu continuei atrasadíssima para o trabalho.

Devemos permitir que a criança faça aquilo que afirma conseguir fazer?

Sim, claro que sim. E se não conseguir também vai aprender uma lição muito valiosa, pois vai perceber que é necessário persistência para adquirir competências, e que quando não se consegue à primeira consegue-se à segunda ou à terceira tentativa.

E os pais, o que aprendem com os filhos nesta fase do seu desenvolvimento?

Aprendem que eles são mais do que apenas nossos, são do mundo e para o mundo, com as suas vontades e determinação.

Aprendem a mobilizar grandes doses de paciência, aguardando que desempenhem tarefas que desempenhariam em segundos.

Aprendem que será mais benéfico para todos anteciparem-se às situações, e que pode valer a pena levantar o pessoal da cama um bocadinho mais cedo.

Ser pai é isto… participar num processo de contínuo de crescimento!

E não são só os nossos filhos que crescem, nós também temos muitas competências a adquirir, e deixar que os nossos bebés se distanciem da necessidade contínua dos nossos cuidados,  é uma delas.

É na família que a criança cresce, se desenvolve, imita, aprende, conquista.

É na família que se adquirem as competências necessárias para que a criança se afirme socialmente e se capacite para a autonomia.

Os pais são o exemplo, a casa, o campo de treino, mas a vida é mais do que isso. Ela acontece a cada segundo, e projeta a criança para o mundo!

E é tão bom vê-los crescer!!!

Anúncios