UMA MÃO CHEIA DE PURPURINAS E UMA PITADA DE PÓ DE FADA

 

E se usarmos o pó de fada para trazer magia à nossa vida? E se enchermos o mundo dos que nos rodeiam de purpurinas, brilhantes e fantasia? Cada vez mais acredito que precisamos disso para viver… precisamos de olhar para a nossa realidade com alguma leveza.

Nós nunca sabemos com o que podemos contar… não sabemos mesmo. Com isto não digo que se possa viver sem fazer planos, sem projetar o futuro. Quando se tem filhos somos impelidos por uma força maior, a força do amor, a pensar no dia de amanhã. Mas penso que, essa mesma força, nos pode permitir relativizar algumas situações.

Vejo muitos pais a dramatizar situações comuns, banais. Ficam de rastos porque a criança não conseguiu ter aquela nota que esperavam dela, porque não foi selecionado para a equipa de basquetebol da escola, porque foi repreendido pelo professor e partem do princípio que foi injustiçado.

Desejam intimamente o melhor para os seus filhos mas, sem se aperceberem, pressionam a criança a alcançar um desempenho ótimo naquela atividade em que o decidiram inscrever, ou em duas ou três. Colocam sobre os filhos a responsabilidade de realizar os sonhos dos pais, de serem o que os pais não conseguiram ser, de terem o sucesso que não atingiram.

É bom para as crianças aprenderem música, praticarem desporto, fazerem teatro… mas se isso lhes der prazer, incutir valores (como o respeito pelo outro, satisfação pelo que conseguem conquistar),  sem nunca esquecer que o importante é viver com alegria.

Vejo pais cansados, a reclamar que passam a vida a correr de um lado para o outro para levar os filhos às atividades, porque lhes querem dar tudo, porque querem ser bons pais… Vejo crianças com dias tão cheios de coisas para fazer que nem têm tempo para brincar…

Talvez uma mão cheia de purpurinas e uma pitada de pó de fada, possam devolver à infância, momentos de pura alegria!

Anúncios