DRAMA DE UMA MÃE ATAREFADA

Qual é a mãe que não passou um dia inteirinho a limpar o pó, aspirar, pôr roupa a lavar, estender roupa, passar a ferro… tantas coisas, que só de falar já cansa!

É a maior chatice de ser uma mãe de família e ter o azar de não ter dinheiro para uma empregada!

      Fazemos porque tem de ser… ninguém pode viver em extrema bagunça! Para já não falar da educação que se passa aos filhos….! E as visitas? Que mau aspeto seria!

     O pior de tudo, é que só uma questão de minutos, para os nossos pequenos terroristas, começarem a fazer aquilo que sabem melhor… tirar tudo do lugar!

    Basta uma pequena distração para acontecer o caos… se alcançam o armário da roupa, saltam roupas enroladas, que se transformam em horas e horas de trabalho desperdiçado!  Deixa qualquer mãe avariada…

      A avaria foi tão grande, que hoje tenho uma premissa: tarefas de casa sim, escrava da casa nunca!

  Se a minha casa está desarrumada? Claro que está, assumo sem vergonha!

  É uma casa com vida…. Faço almoços, lanches e jantares, permito que os meus filhos brinquem, permito-me a mim brincar com eles, ao invés de estar assoberbada de tarefas domésticas!  Não deixo de sair, porque tenho de limpar a casa…

   Saio de casa, deixo a luz do sol tocar nos meus cabelos, descanso no banco do jardim, observo deliciada os meus filhos a brincarem, rio-me das suas graças, derreto-me com as suas cantigas!  Depois, quando chego a casa ao fim do dia, o pó continua,  mas o meu coração vem bem mais cheio!

        Mas, infelizmente, as tarefas domésticas não dão tréguas…  E, para uma mãe, como eu, que acumula o trabalho de casa com outro, bem exigente, o tempo para arrumar é cada vez é menor.

   Mas quando o cesto da roupa suja, ganha vida e sabe-se lá como, continua a  encher sem parar, até que literalmente transborda… surge, vindo do mais profundo do nosso subconsciente um sentimento de culpa, e não há como deixar para amanhã!

Aparece então, vinda sabe-se lá donde, a coragem desaparecida, e sem sequer dar conta entramos novamente, no ciclo vicioso das tarefas domésticas….

É então limpar, lavar, passar, sem parar… até que tudo, tudo fique no seu lugar!

 É este o drama, quase diário… de uma mãe atarefada…!

 

 

 

Anúncios