ESTOMATITE? O QUE É … O QUE FAZER?

Febre alta, recusa em se alimentar, choro que denuncia dor… Estes são sinais comuns a muitas doenças na infância! Se para além desta sintomatologia,  o seu filho apresenta lesões na boca (gengiva, céu da boca, garganta), é provável que tenha uma estomatite.

A estomatite é um infeção relativamente comum, que afeta principalmente crianças em idade pré-escolar.

É mais  frequente entre os 6 meses e os 5 anos,  causando mal estar e obrigando muitos pais a procurar a urgência pediátrica.

Tem um período de incubação que pode variar entre 2 a 5 dias e o contágio acontece através das gotículas de saliva. Perante isto, aconselha-se que uma criança com estomatite não vá à escola, nem conviva proximamente com outras crianças, como manda o bom senso!

É uma infeção viral, que pode ser provocada por diferentes tipos de vírus.

É importante que os pais percebam que como é viral não há espaço para antibióticos, e a solução consiste no controlo dos sintomas.

A maioria das crianças apresenta uma irritabilidade marcada, febre alta e persistente, mau hálito e… uma recusa alimentar que por vezes, pode ser quase total.

É importante controlar a febre, aconselhando-se o uso de paracetamol e ibuprofeno em supositório, pois muitas vezes a criança apresenta desconforto a engolir.

O controlo da febre é meio caminho andando, mas não é o caminho todo. Habitualmente o mais preocupante, é a recusa alimentar. A criança manifesta vontade de comer, parece interessar-se pela comida, mas quando se tenta alimentar sente dor e … acaba por recusar!

Para controlar esta situação os  pais devem:

sempre que possível administrar paracetamol ou ibuprofeno antes da hora das refeições principais, respeitando os intervalos de segurança entre cada toma;

oferecer à criança alimentos moles/passados e frios, por serem melhor tolerados;

optar por batidos de fruta, iogurtes líquidos (evitar frutas ácidas tais como a laranja, o ananás ou o kiwi, que potenciam a dor);

oferecer líquidos frescos com frequência, de forma a prevenir a desidratação;

Se apesar de todos estes esforços, não conseguir que o seu filho se alimente, então é melhor que a situação seja reavaliada, pelo risco de desidratação.

A  grande maioria das vezes,  tudo se ultrapassa sem maiores sobressaltos.  A febre vai ficando menos frequente, a capacidade de se alimentar vai sendo recuperada, o mau hálito desaparece e as lesões vão melhorando.

Em alguns casos, e dependendo do vírus que causa a estomatite, a doença pode voltar. Se assim for, fique tranquila, pois a primeira vez costuma ser a mais agressiva… e ainda há outra boa notícia:

É que em caso de repetição, vai-se sentir ainda mais capaz de lidar com a situação!

Anúncios