FEBRE: TUDO O QUE PRECISA DE SABER PARA UMA CORRETA AVALIAÇÃO

A febre por si só não é uma doença.

A febre não traduz gravidade.

A febre é  apenas um sintoma, uma manifestação normal de um organismo saudável, é  um sinal de alerta, mas não é sinal de alarme.

A maior parte das vezes é o início de uma infecção, sem consequências.

Quando a febre aparece, por norma é facilmente é detectada pelos pais. A criança fica quente, refere frio,  sente arrepios durante a subida da temperatura, isto, nas crianças mais crescidas.

Nos bebés, não é tão fácil detectar a febre, mas existem sinais que fazem os pais desconfiarem de imediato que a febre está a chegar… o bebé está com a pele quente, demasiado corado, tem gemido, está mais mole… ou mais irritado.

Não fique apenas pela observação, certifique-se sempre se a criança tem realmente febre! A única forma de saber com precisão a temperatura da criança, é medir a temperatura com um termómetro.

Existem à venda, uma quantidade imensa de termómetros. A temperatura avaliada por cada um deles é diferente, por isso os valores, perante os quais  é considerada febre, diferem consoante o local de avaliação da temperatura.

Os valores em que se considera febre, consoante o local de avaliação da temperatura, são os seguintes:

  • Temperatura retal – a partir dos 38ºC
  • Temperatura axilar – a partir dos 37,6ºC
  • Temperatura timpânica – a partir dos 37,8ºC
  • Temperatura oral – 37,6ºC

A avaliação da temperatura, hoje em dia, graças aos termómetros digitais faz-se em segundos, ao primeiro toque, consegue visualizar a temperatura real do seu filho.

A temperatura retal é o método mais rigoroso. É na minha opinião o modo mais fácil de avaliar a temperatura nos bebés. Na avaliação da temperatura retal, é preciso ter sempre o cuidado de utilizar um termómetro com ponta flexível.

Nas crianças mais crescidas considero que o método de avaliação da temperatura na axila é o mais prático, pois nessa idade já se consegue a colaboração da criança.

A avaliação da temperatura timpânica (no interior do ouvido) só se deve utilizar a partir dos 3 anos de idade. E é comum existir uma diferença de décimas em avaliações sucessivas, pelo que se aconselha a fazer 3 avaliações seguidas e assumir como certa a avaliação com o valor mais elevado.

A temperatura oral só deve ser usada a partir dos 5 anos, avalia-se na boca, com a ponta do termómetro colocada debaixo da língua. A leitura só deve ser feita após 3 minutos, mesmo com o termómetro digital. Por este motivo não se recomenda a utilização do termómetro chucha em bebés, não é considerado um método preciso.

Agora que conhece a forma de utilização de cada tipo de termómetro, opte por aquele que para si é o mais fácil, de acordo com as características do seu filho.

O que importa é mesmo avaliar sempre a temperatura….

… E ter a certeza que essa avaliação é a correta!

 

Anúncios