FEBRE: QUANDO PROCURAR AJUDA?

A febre é um dos motivos pelos quais, mais pais recorrem aos serviços de saúde. Mas como já referimos noutros posts, a febre por si só não é indicativo de gravidade da doença.

Então, quando é que é necessário procurar ajuda?

Quando os pais dizem “nem se nota que tem febre, com 39ºC, salta, corre… parece que não é nada com ele!”, indicam que a criança está confortável. São os chamados sinais “tranquilizadores” que sugerem que se trata de uma doença sem gravidade. A criança tem febre, mas continua com uma atividade normal, brinca, pode comer menos, mas não recusa os líquidos, responde ao contacto visual, sorri, acalma facilmente ao colo, tem tosse mas não tem falta de ar, tem manchas dispersas que só surgem a partir do 4º dia.

Por outro lado, a febre pode causar mal estar na criança. Se a criança apresentar mais que um destes sinais, os chamados “sinais de alerta”, só há uma atitude a tomar: procurar ajuda! Recorra de imediato aos serviços de saúde. São eles:

  • Muito sonolento ou criança que não consegue dormir;
  • Face de dor ou sofrimento;
  • Criança irritada ou a gemer de forma persistente;
  • Criança que choro com persistência e não acalma ao colo;
  • Convulsão;
  • Manchas na pele nas primeiras 24 a 48 horas de febre;
  • Respiração rápida e cansaço;
  • Sede que não desaparece pela ingestão de água;
  • Vómitos persistentes entre as refeições;
  • Recusa em beber líquidos e comer durante mais de 12 horas;
  • Lábios e unhas roxas com tremores na subida da febre;
  • Dificuldade em mobilizar um membro ou alteração da marcha;
  • Urina turva ou com mau cheiro;
  • Febre com duração superior a 5 dias (as viroses responsáveis pela maioria dos episódios febris, duram cerca de 4 a 5 dias).

Também é sempre motivo para procurar ajuda, se:

  • Criança com idade inferior a 3 meses;
  • Criança com idade inferior a 6 meses com temperaturas iguais ou superiores a 40ºC;
  • Com temperaturas axilares superiores a 40ºC ou retais superiores a 41ºC;

Em caso de dúvida, pode contactar a saúde 24, onde tem um enfermeiro  que o pode ajudar no encaminhamento da situação: 808242424

Se mesmo após contacto, continuar a sentir que “o seu filho não está bem”, o melhor é mesmo procurar ajuda!

São os pais que melhor conhecem os filhos!

Anúncios