SARAMPO.. O QUE PRECISA DE SABER

Febre, mal estar, corrimento nasal, tosse e conjuntivite. Sintomas comuns a outras doenças que habitualmente surgem no início do sarampo. A estes se podem juntar o aparecimento de pontos brancos no interior das bochechas, e posteriormente “manchas” na pele que começam por aparecer na face e depois se espalham para o resto do corpo.

O sarampo voltou, e com ele o sobressalto dos pais e profissionais de saúde. A vacinação é a principal medida de prevenção, é gratuita e está disponível para todos.

É uma doença muito contagiosa, causada por um vírus e que evolui habitualmente de forma benigna, contudo isto não é linear. O contágio acontece entre indivíduos, através de gotículas, tosse e espirros. A verdade é que o sarampo pode assumir formas mais graves, pelo que se entende prioritário assegurar o cumprimento da vacinação. Quem não se encontra vacinado e não teve sarampo, tem uma enorme probabilidade de contrair a doença se contactar com o vírus.

Nas crianças, o calendário vacinal prevê a vacinação aos 12 meses e aos 5 anos. Este é o esquema recomendado, mas se por algum motivo o seu filho não foi vacinado segundo as recomendações, é importante que se dirija ao seu Centro de Saúde para regularizar a situação.

Não é esperado que em Portugal ocorra uma grande epidemia de sarampo, uma vez que a maioria da população nascida depois de 1970 se encontra vacinada e maioria das pessoas que nasceram antes dessa data tiveram a doença. De qualquer forma estamos perante um surto, e até quem se encontra vacinado pode contrair a doença. Nas situações em que isso acontece, habitualmente experiencia-se uma forma mais ligeira e com menor probabilidade de futuros contágios.

Por tudo isto vacine-se e vacine os seus!

Anúncios